domingo, 5 de julho de 2009

Como Vamos? Um equívoco...

Afinal equivoquei-me... Pareceu-me que o ministro tinha chamado boi ao deputado mas afinal foi burro... Por isso acho muito bem que se tenha demitido. Desconsiderou o animal, ao compará-lo com um deputado. Um burro nunca iria para deputado, mas só os espertos, que se vão governar á nossa custa. Se fosse um boi, ainda vá que não vá. Eles atacam tudo o que vêm e parecem-se mais com o parlamento... Mas há outras variantes, como vai p'ró car..., p'rá p... que te p...., vai-te fod... Tudo isto são expressões que se podem utilizar no parlamento sem que daí se possa tirar outras ilacções que não que os deputados são uma camada de amigos, que se cumprimentam e gostam de variar os cumprimentos.
Não quero deixar passar em claro aquela estória do "estou-me cagando"... Não há dúvida que também este merecia demitir-se (se calhar não o fez porque estava em cima do fim do mandato), porque dizer que se está a cagar não fica bem (costuma-se dizer está gente).
Depois vem aquela que quer deixar de ser portuguesa porque o estado não lhe deu mais dinheiro. Também eu queria ter uma iniciativa que sacasse dinheiro ao país sem ter que justificar para onde ele foi. Como não sei tocar piano, tuba, acordeão, etc., mas sei tocar rádio, giradiscos e campaínhas de portas, o que toda a gente também sabe, não teria interesse nenhum em inicar-me nessa actividade. Mas conheço uma que renderia uns bons patacos e com os milhõesitos do governo, até eu me governava.
Falo do toque de prato. É uma música muito usada em cerimónias, como casamentos e baptizados em que no fim do respasto,(ou entre pratos) se grita é p'rós noivos e toca-se, é pr'ós pais da noiva e toca-se e por aí em diante, pelo que esta actividade tem muita saída.
Bom já agora aproveito que o parlamento está para encerrar para férias e um merecido balanço, para propor que até lá os deputados se apliquem com todas as forças (não para cagar)para que escolham quais as palavras do vocabulário se possam utilizar em cumprimentos entre pares, durante a próxima legislatura.
Assim não teríamos que estar à espera, que um deputado se demita depois de ouvirmos ele a dizer o Presidente é um galgo, ou um Ministro a demitir-se depois de chamar camelo ao deputado.
Cada categoria tem os seus termos e um Presidente é um presidente, um Primeiro Ministro é o nosso primeiro, um Ministro é uma pessoa dedicada ao país, um deputado é um filho da p.., pelo que os nomes porque irão ser tratados deverão considerar estas diferenças.
Até breve.

Calhaus Rolados

Calhaus rolados, são pedaços de rocha que por acção da erosão, água ou gelo, se tornam arredondados.
O meus calhaus são recolhidos numa praia a Sul de Viana do Castelo, Praia da Amorosa, em virtude da variedade das suas cores e tamanhos.
Após a recolha são lavados cuidadosamente, seprados por calibres e armazenados.
À medida das necessidades vão sendo colados, com uma cola forte, para que formem as construções para que são utilizados.
Comecei isto como uma ocupação de tempos livres e hoje já me ocupa outros tempos que não só os livres, em virtude da procura que tem ocorrido, por parte dos meus amigos e depois da grande divulgação que fizeram.
Agora vendo-os e vou desenhando outros modelos.
Cumprimentos
Manuel Costa

Nota: Se pretenderem adquir algum podem solicitá-lo pelo e-mail: mcosta99@gmail.com ou telm 968049860

Quem sou?

A minha foto
ESPARGO -Santa Maria da Feira, Aveiro, Portugal
Sou coleccionador de presépios e crucifixos. Gosto de manusear as pedras e dar-lhes formas. Tenho conseguido algumas figuras muito bonitas.

Sou eu

Sou eu

Eu no jornal Terras da Feira

Eu no jornal Terras da Feira
Artesanato