terça-feira, 24 de novembro de 2009

que coisa...

Acabei por descobrir o que tenho feito da minha arte, montes de cascalho... São coisas, de facto, de cascalho, que poderão parecer outras coisas, mas são montes de cascalho... E o cascalho só serve para ser pisado, calcado, enfim não serve para nada.
Mas vou continuar a fazer cascalho, a cascalhar, e a tentar do cascalho dar formas diferentes, que pareçam que são bonitas, e que continuem a não servir para nada.
Cascalho...
Um xi muito grande

sexta-feira, 6 de novembro de 2009

Face oculta1

Tenho andado a ouvir falar na face oculta e só me lembro que estão envolvidos dos godinhos até ao penedos, que servem para saltar à vara. Tenho procurado, mas não encontro, calhaus e rochas, mas parece que andam só mais os pinhos e costas.
Isto de dar luvas, dádivas e outras ofertas é um bom sinal. Todos terão perdão já que, como diria saramago, quem dá aos homens empresta a deus.
Isto de oferecer ofertas para receber benesses não é novo. Já D. Afonso Henriques o fazia. A rainha D.Isabel que respondeu ao rei "são rosas senhor", se fora hoje pouco difereria, apenas alterava para "são rosas e laranjas senhor", pelo que a diferença seria mínima. Agora vejam que esta gente está toda de molho, ou ao molho? O que sei é que davam com uma mão e tiravam com a outra, ou não fossem luvas. Mas vamos ver que um simples mercedolas descapotável servia para pouca coisa, se nem mesmo para demitir um administrador não colaborante chegava... Tudo boa gente e nós que os aturemos.
Ainda vamos ver os godinhos e os penedos a rolar por aí, a dizer que não é nada com eles, e que a culpa é das rochas e dos calhaus.
Esperemos e veremos que é que salta à vara.
Um xi

PS: A minha madrinha continua sem aparecer. Não sei se ela não rolou também

domingo, 1 de novembro de 2009

Face oculta

Caros amigos,
Tenho ouvido falar muito da face oculta e ainda não percebo o que é. Mas também sou uma gata e não sou abrigada a saber..., mas ouvi falar de pessoas que davam e recebiam dinheiro para fazer o que toda a gente faz, corrupção. Um geito aqui, outro geitinho ali, e lá se vai endireitando a vida, com um subornozito para ajudar a comprar uma coisa pequena, que até poder ser um mercedes para ir passear com a família e dar umas voltas com as amigas. Então olhar pela vidinha não é possível? Nem que para isso seja necessário mudar o ministro que não alinha nos arranjinhos. E aquele gestor (administrador) que recebe milhões por ano e se contenta com 10.000 para falar ao amigo? O que são 10.000 comparado com os milhões que são distribuidos pelos companheiros para que a vida corra, políticos, polícias, gestores, advogados, etc., tudo boa gente, bons pais de família que arrotam seriedade em todos os lugares públicos que frequentam, mas que tossem corrupção ao telefone`, e tão alto que até a polícia ouve.
Mas eu acho que isto já nasceu com o país... Lembram-se que D.Afonso Henriques teve de bater na mãe, porque ela fazia uns geitinhos aos espanhois, que queriam aproveitar o que por cá havia. E D.Dinis, que encontrou a mulher a distribuir rosas pelos necessitados da altura. Agora são os rosas que recebem dos necessitados do momento.
Se viermos a ler a história até aos nossos dias vemos que ora uns ora outros vão dando e recebendo, conforme precisam ou não de orientar umas coisitas. Até carris do combóio servem para a coisa, embora esses malfadados pjotas, não consigam perceber que isto é uma necessidade nacional, sem corrupção não há negócios, porque há muita gente a querer fazê-los e como toda a gente sabe não chegam para todos.
Bom a minha madrinha ainda não veio ver-me e acho que vou fazer umas doaçõesitas a ver se alguém ma consegue mostrar.
Um xi
Zeizinha

Calhaus Rolados

Calhaus rolados, são pedaços de rocha que por acção da erosão, água ou gelo, se tornam arredondados.
O meus calhaus são recolhidos numa praia a Sul de Viana do Castelo, Praia da Amorosa, em virtude da variedade das suas cores e tamanhos.
Após a recolha são lavados cuidadosamente, seprados por calibres e armazenados.
À medida das necessidades vão sendo colados, com uma cola forte, para que formem as construções para que são utilizados.
Comecei isto como uma ocupação de tempos livres e hoje já me ocupa outros tempos que não só os livres, em virtude da procura que tem ocorrido, por parte dos meus amigos e depois da grande divulgação que fizeram.
Agora vendo-os e vou desenhando outros modelos.
Cumprimentos
Manuel Costa

Nota: Se pretenderem adquir algum podem solicitá-lo pelo e-mail: mcosta99@gmail.com ou telm 968049860

Quem sou?

A minha foto
ESPARGO -Santa Maria da Feira, Aveiro, Portugal
Sou coleccionador de presépios e crucifixos. Gosto de manusear as pedras e dar-lhes formas. Tenho conseguido algumas figuras muito bonitas.

Sou eu

Sou eu

Eu no jornal Terras da Feira

Eu no jornal Terras da Feira
Artesanato